quarta-feira, 22 de julho de 2020

Livro para Download: DESTERRITORIALIZAÇÃO PRODUTIVA NO MARAJÓ: ANÁLISES GEOGRÁFICAS NO MUNICÍPIO DE BREVES PÓS-DECLÍNIO DA ATIVIDADE MADEIREIRA (2000-2015). Acessem...


Após o fechamento das grandes madeireiras no município de Breves, tornaram-se evidentes alterações no ciclo econômico e na distribuição populacional, além da maior concentração espacial da população no espaço urbano, acentuando, assim, a distinção entre campo e cidade, dado que problemas econômicos e sociais têm influenciado grandemente o desenvolvimento da região de Breves/Marajó-Pará. Este livro traz a caracterização de Breves, apresentando uma visão geral do município, de seus aspectos econômicos e sociais, bem como busca analisar as modificações socioterritoriais ocorridas nos últimos anos. Para que o debate aqui proposto fosse realizado, foram necessárias pesquisas bibliográficas e visitas a campo, além de pesquisas em órgãos públicos, que disponibilizam dados de população e de criminalidade do município em questão. Breves vem passando por modificações significativas, principalmente devido ao declínio da atividade madeireira e ao surgimento de “novos objetos” (inúmeros estabelecimentos comerciais e de serviços, penitenciária etc.), que vêm alterando a dinâmica urbana e refletindo, diretamente, no modo de vida da população. Para a versão digital gratuita acesse este LINK. Para adquirir o livro impresso acesse o site do Clube de Autores...

sexta-feira, 10 de julho de 2020

Livro para Download: ÁREAS PROTEGIDAS: DIFERENTES ABORDAGENS NA AMAZÔNIA LEGAL


Este livro retrata a percepção dos autores sobre as áreas protegidas na Amazônia Legal Brasileira, através de uma coletânea de estudos que perpassam desde a lacuna de proteção das savanas, percepção ambiental, políticas públicas de proteção até os impactos das atividades de infraestrutura em áreas protegidas. Na certeza de que ao ler este livro o leitor terá a percepção da Amazônia por amazônidas, esta primeira edição é parte de um sonho dos organizadores de escrever sobre a ótica de quem vive a realidade do local. O olhar que estes trabalhos selecionados trazem é o olhar de quem estuda, pesquisa e vive o cotidiano do povo Amazônico. Para acesso a versão digital gratuíta clique NESSE LINK. Para adquirir a versão impressa acesse o site do Clube de Autores, NESSE ENDEREÇO.


domingo, 31 de maio de 2020

Livro Gratuito para Download: O ESPAÇO GEOGRÁFICO AMAZÔNICO EM DEBATE: DINÂMICAS TERRITORIAIS E AMBIENTAIS




Este livro O Espaço geográfico amazônico em debate: dinâmicas territoriais e ambientais, reúne artigos cujo objetivo é, sobretudo, contribuir para o entendimento do desenvolvimento recente nas abordagens das dinâmicas territoriais no contexto amazônico. Os artigos abordam objetos de uma seleção de temas e várias releituras. A valorização acima proposta da análise das dinâmicas territoriais nos convida a fazer indagações, entre as quais: há algo novo com respeitos às dinâmicas territoriais e ambientais regionais? É o que se pretende essencialmente, contribuir, com respeito ao significado geral da evolução das análises produzidas nos últimos anos pela geografia regional sobre as dinâmicas territoriais na região amazônica.

O conteúdo de cada texto é fruto de debates e pesquisas realizadas por seus autores nos últimos anos e enfocam temas importantes para a compreensão do espaço geográfico amazônico na atualidade. A versão ebook pode ser acessadas neste link e a versão impressa pode ser adquirida neste endereço.

sexta-feira, 22 de maio de 2020

Livro Gratuito para Download: BELÉM DOS 400 ANOS: ANÁLISES GEOGRÁFICAS E IMPACTOS ANTROPOGÊNICOS NA CIDADE


Este livro, publicado em 2016, é uma compilação/síntese das pesquisas executadas pelo GAPTA e seus colaboradores, que refletem o debate dos fenômenos geográficos que ocorreram/ocorrem na capital paraense, desde sua formação – há mais de 400 anos atrás, até o período atual, onde “novos” processos e dinâmicas demonstram que o espaço geográfico de Belém está em constante mudança.

É importante enfatizar que este livro foi elaborado a partir dos debates conceituais e técnicos sobre cartografia, suas ferramentas e seus avanços tecnológicos, realizados durante a execução do projeto “Variabilidade hidroclimática e impactos antropogênicos em bacias urbanas e rurais no Estado do Pará” (ICAAF 117-2014, edital 005/2014), com financiamento de bolsas e materiais (capital e custeio) possibilitados pela Fundação Amazônia Paraense de Amparo à Pesquisa (FAPESPA). Os textos deste livro também tem a pretensão de complementar o relatório técnico financeiro apresentado à FAPESPA e, por fim, buscamos subsidiar trabalhos futuros que tenham na geografia e na cartografia uma das ferramentas fundamentais para a sua realização.

Desse modo, trata-se, também, de uma “prestação de contas” para todos os que participaram direta ou indiretamente dessas pesquisas, demonstrando o resultado expresso do tempo investido pelos participantes dos projetos em suas atividades de pesquisa, ensino e extensão acadêmica, buscando, sempre, incentivar a produção intelectual e bibliográfica da geografia paraense, tão demandada nestes dias em que o conhecimento geográfico e cartográfico passa por um reforço epistemológico e tecnológico causado nas formas de representar o que se passa na superfície da Terra.

Agradecemos à FAPESPA e seus servidores pelo apoio financeiro e técnico disponibilizado. Esse tipo de apoio é que faz da Universidade uma instituição que forma alunos capacitados e oferece à sociedade produtos de qualidade para entender a realidade que nos circunda. Acessem neste link...

quarta-feira, 18 de março de 2020

ADIAMENTO... I CARGEO: CARTOGRAFIA E GEOINFORMAÇÃO NA AMAZÔNIA



Adiamento...

A coordenação do I CARGEO informa a comunidade acadêmica que decidiu pelo adiamento da realização do evento, devido, principalmente, as orientações das autoridades de saúde quando à prevenção ao Covid-19. 

Agradecemos todo o apoio e procura que nosso evento tem recebido e nos comprometemos a divulgar a todos os inscritos as novas datas e programação para o segundo semestre de 2020, ainda não definidas.

At.te

Coordenação do I CARGEO

segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

Anais do 2º Encontro de Cartografia da UFPA (ENCART)


O 2º Encontro de Cartografia da UFPA (ENCART) realizado entre os dias 06 e 09 de maio de 2019 na Universidade Federal do Pará – Campus Belém, coloca à disposição os anais do evento. Anunciamos que o número de trabalhos submetidos e aceitos foram um total de 30 trabalhos, sendo 7 trabalhos do eixo temático de Cartografia no Ensino e Geotecnologias; 11 trabalhos do eixo temático de Cartografia e Geografia Física e 12 trabalhos do eixo temático de Cartografia e Geografia Humana.

Além desses trabalhos, tivemos 6 palestras com professores e profissionais da área locais e convidados de outras universidades, para contribuir com o debate e com as novas perspectivas nessa área do conhecimento para a comunidade científica participante.


 imagem


Nessa edição do 2º ENCART, contamos com a participação especial das professoras da USP: Dra. Maria Elena Ramos Simielli e Dra. Fernanda Padovesi, que são destaque com seus trabalhos nessa área.

Também foram ofertados 5 mini-cursos, sendo eles: Elaboração de Maquetes como Recurso Didático; Cartografia Tátil; Mapeamento e definição de Áreas de Preservação Permanente (APPs) Hídricas com o Software de Geoprocessamento QGIS; Introdução ao Uso de Drones e Introdução ao Uso de GPS.

Esperamos que todas as atividades vivenciadas no evento e para além dele, tenham propiciado uma experiência única aos participantes. Acesse o arquivo aqui...

Prof. Dr. José Edilson Cardoso Rodrigues (FGC/UFPA)
Coordenação Geral

terça-feira, 5 de novembro de 2019

Livro para Download: PROJETO AGROEXTRATIVISTA E GESTÃO PARTICIPATIVA DOS RECURSOS COMUNS NA VÁRZEA AMAZÔNICA


É com prazer que cumprimos a honrosa missão de prefaciar o livro dos pesquisadores Shaji Thomas, Oriana Almeida e Elysângela Sousa Pinheiro, intitulado Projeto Agroextrativista e Gestão Participativa dos Recursos Comuns na Várzea Amazônica. Acesso aqui... 
Com esta obra, em tema tão relevante, os pesquisadores nos apresentam o resultado de ampla pesquisa realizada na região Oeste do Pará, dedicando atenção às comunidades de várzea do Baixo Amazonas e às estratégias coletivas de gestão dos bens comuns. Para tanto, os pesquisadores tomam como elemento catalisador o modelo de regularização fundiária expresso pelos Projetos de Assentamento Agroextrativista, apresentados como modelo especial de acesso à terra, e voltados à necessidade de integração das agendas sociais e ambientais no Brasil.


Neste contexto, os pesquisadores delineiam como objetivo primaz da pesquisa a análise dos impactos trazidos por este modelo de assentamento na forma de gestão dos recursos comuns de comunidades situadas na várzea do Baixo Amazonas, segundo diferentes níveis de organização institucional existentes em cada região.
O destaque para o cenário da várzea merece ser ressaltado, tendo em vista tratar-se, em geral, de um dos espaços amazônicos mais simbólicos da região, marcado pela função socioambiental, todavia, reiteradamente ignorados pelas políticas públicas e mesmo pelo Direito Agrário e Ambiental.
A obra traça um percurso científico de grande relevância ao percorrer a análise histórica da gestão dos recursos comuns, desde a reflexão da tragédia dos comuns até a proposta de governança interativa dos recursos comuns, aproximando-se da realidade dos povos e comunidades tradicionais, não apenas na Amazônia, mas presentes em todo o mundo.
A aproximação necessária com as questões até hoje irresolutas sobre o regime jurídico da várzea é uma das contribuições de grande relevância que encontramos na pesquisa ora publicada e que nos permite colher subsídios relevantes para o tratamento jurídico e social do tema.
Posteriormente, a obra apresenta uma ampla compreensão da gestão dos recursos naturais de várzea, oferecendo-nos a várzea como um local de produção e reprodução econômica, social, ambiental e cultural, muitas vezes ignorado.
É neste caminhar que os impactos da criação e implantação dos PAE na Várzea do Baixo Amazonas são avaliados, abordando seus pressupostos, sua caracterização, as políticas públicas e os desafios encontrados, até culminar como a reflexão sobre o futuro dos PAE objeto de estudo.
Temos aqui, portanto, uma abordagem científica de enorme relevância para o contexto amazônico, mas também nacional, oferecendo um olhar qualificado sobre uma das políticas públicas recentes no Estado brasileiro, criadas num contexto de ansiedade pelo avanço em políticas públicas reais de sustentabilidade de justiça social.
O olhar sensível dos autores nos apresenta também uma opção de postura científica necessária que utiliza a academia como caixa de ressonância da defesa de Direitos Humanos, em especial os socioambientais.  Acesso aqui... 

Eliane Cristina Pinto Moreira 
Promotora de justiça do Ministério Público do Estado do Pará
Professora da Universidade Federal do Pará